10 %

O Antropoceno - Uma Crítica

€17,01 /un Price reduced from €18,90 /un to
€17,01 /un

Desconto Imediato: 10%

Ensaios sobre um planeta dominado pelos humanos.
Promoção válida de 17-06-2021 a 31-12-2021

Dimensões:

15,6 x 23,3 x 2,1cm

Autor:

John Green

Sobre o Autor:

John Green é autor de vários bestsellers do The New York Times. Recebeu o Michael L. Printz Award e o Edgar Award. Foi por duas vezes finalista do L. A. Times Book Prize. Os seus livros foram traduzidos em mais de vinte línguas. John é também o cocriador, com o seu irmão Hank, do vlogbrothers, uma série de vídeos on-line que já foram visionados mais de 100 milhões de vezes.

Sinopse:

"O Antropoceno" é o período de tempo que corresponde à era geológica que vivemos atualmente. A humanidade tem vindo a reconfigurar o planeta, bem como a sua biodiversidade, e John Green faz uma análise crítica dessa intervenção, usando para isso uma escala de cinco estrelas. Nesta notável coletânea de ensaios, que surgiram a partir do seu revolucionário podcast, o autor bestseller fala-nos dos seus temas mais queridos. Desde obras de arte famosas ao cometa Halley, do ar condicionado aos gansos do Canadá ou à Internet, nada lhe escapa. Divertidas e sofisticadas, as suas opiniões registam as contradições da condição humana. Enquanto espécie, somos a um tempo demasiado poderosos e desprovidos de poder, paradoxo que se evidenciou durante a recente pandemia, a qual - como não podia deixar de ser! - nos afastou e ao mesmo tempo nos uniu. O talento de John Green como contador de histórias está bem patente ao longo das páginas deste livro. De coração aberto, o autor celebra, sem ironias, o ato de nos apaixonarmos pelo nosso mundo. Trata-se de um livro que não podia vir em melhor altura. O certo é que nos fará refletir sobre as nossas prioridades, e não deixará ninguém indiferente.

Língua:

Português

Capa:

Capa Mole

Temática:

Crónicas e Atualidade

Editora:

Asa

Data de Lançamento:

Agosto 2021

Nº de Páginas:

320

ISBN:

9789892351933

Informação Adicional:

Demorei toda a vida, até agora, para me apaixonar pelo mundo. Quero sentir o que há para sentir enquanto cá estou. Esta é a minha tentativa de o fazer. (Nota do autor)